AÉCIO SARTI

Natural de Aracajú, formado pelo Colorado Institute of Arts (EUA), Aecio Sarti pinta o belo em suas representações humanas. Seja através de um trabalho rico em detalhes e cores ou de pinceladas soltas, grafitadas, monocromáticas, ele mostra a beleza de seus retratados em uma atmosfera muito particular. Uma atmosfera descomprometida com o olhar do outro, criada por Aecio para dar sentido à sua própria vida. Apenas isso.

Seus quadros apresentam histórias, sejam elas vividas, contadas, idealizadas, ou que somente deflagram sua constante busca por novos traços, novas técnicas, novos suportes e novas maneiras de dialogar com o mundo.

Sua carreira começou aos 14 anos de idade, com a mesma intensidade de hoje. Trata-se de um artista que nasceu artista e que passou a vida retratando pessoas.

Não há melhor maneira de conhecê-lo, senão pela análise das diferentes fases pela qual atravessou sua pintura até culminar nas atuais figuras alongadas, desenhadas em primeiro plano sem o uso de perspectiva, sobre uma lona de caminhão usada.

Os trabalhos existem com a pretensão de ser apenas uma fuga pessoal, mas já foram exibidos em exposições individuais, nacionais e internacionais, e atualmente fazem parte de acervos particulares e públicos em todos os continentes. Recentemente foi lançado o documentário "Céu de Querubins" que aborda a obra de Aecio inserida no contexto brasileiro. O filme curta-metragem participou e foi premiado em alguns festivais de cinema ao redor do mundo.

Dono de uma evidente maturidade artística, Aécio continua desvendando-se através de suas telas, convidando-nos para entrarmos em seu mundo.

OBRAS